domingo, 21 de março de 2010

Não é sempre

Não é sempre, mas às vezes:

Eu olho um sorriso e vejo um dente triste.
Eu escuto palavras, mas ouço o silêncio.
Observos meros ou únicos encontros.
Acho que luz em excesso me maltrata a visão,

Não é sempre, mas de vez em quando:

Eu olho pra saudade e vejo o amor,
Eu escuto palavras, mas ouço a voz
Eu procuro em mim a pista de um cheiro
E continuo lado a lado com a solidão

Não é sempre, mas vez ou outra:

Eu rezo.
Aproximo o suficiente para produzir o calor.
Desconstruo paredes.
Ofereço e acolho.

Não é sempre, mas foi uma única vez,
Eu vi meu amor perdido na multidão!

Um comentário: