sábado, 27 de fevereiro de 2010

Assim



Foi com imenso pesar que ela se despediu da história que se ia bem antes de começar.
Não era o tipo de final que costumava apreciar
Mas deu-se conta de que em certos momentos é necessário se conformar.


Não queria tudo, embora com pouco não conseguisse ficar
Desejou ardentemente vê-lo desabrochar
E afogada num mar de lágrimas pôs-se a gargalhar


Não havia do que se lamentar
Ela fez o que pode para que seu menino se deixasse amar
E o menino escolheu a solidão como par


Ela queria ouvir, mas ele não queria falar
E de tanto não falar, deu à verdade a possibilidade de se revelar
Ela tentou disfarçar
Até riu novamente para o fim driblar


Não houve como evitar
Estava ele a se pronunciar
As palavras ficaram presas no ar
E o coração dela a palpitar


Ela foi querendo voltar
Partiu porque não podia ficar
Seguiu porque não queria parar...





2 comentários:

Laura disse...

Thais,
Será que quando se deseja ouvir é preciso explicitar?

Zari disse...

lindoooooo texto!
beijo